Páginas

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Mais uma vez

Mais uma tarde,
Mais um dia,
Mais uma vez, nada sai da forma esperada.

Meu violão já quebrado,
Minha voz já calada,
Minhas melodias já desafinadas.

Muitas pessoas,
Muitas expectativas,
Mas eu não correspondo a nada disso.

Mais vozes no ar,
Mas medos, 
Mais pensamentos gritam.

Mais uma vez refletindo ao som da GaGa,
Mais pessoas falam,
Mais coisas eu sinto,
Mais profundo vai ficando.

Mais uma vez o silêncio me ganha,
Mais uma vez a esperança se cansa,
Mais uma vez o medo fala mais alto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário