Páginas

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Vazia Madrugada

           E nesta madrugada, a cidade ainda dorme, o único som que escuto é de um pássaro em plena minha janela, o céu escuro , minha mãe ainda dorme eu aproveito o silêncio para me encontrar, e enquanto eu não conseguir essas respostas concretas eu escrevo, e eu continuarei a escrever, pois é em minha escrita que me descubro.
           Estou completamente só, me sinto perdida e abandonada nessa noite, em que não se difere mais o calor do frio, pois tudo está igual. Eu grito por socorro, mas ninguém parece ouvir... É como se eu não existisse, é como se o chão sumisse sobre meus pés e eu me encontrasse em um universo completamente vazio. Há noites que não é possível diferenciar a emoção da felicidade e da tristeza, da raiva e do perdão, do amor e do ódio... Me pergunto até aonde um ser humano é capaz de chegar.A surpresa é de que ele pode chegar aonde ele quiser, basta acreditar, confiar em si mesmo, sem precisar provar para ninguém, e mesmo não tendo a quem mostrar, pois ele se sente sozinho, ele jamais vai estar sozinho.
          Sempre haverá a luz, aquela luz no fim daquele obstáculo que parecia nao ter fim, uns dão o nome de Deus, outros de milagres e anjos, mas muitos os chamam de amigos. O nome, geralmente não vai importar tanto, perto do que ele significará pra você, e não será um estranho dia, ou uma noite mal dormida que irá estragar uma bela história, essa história que não pretende ter um ponto final, pois a folha ainda é extensa ainda tenho muito a escrever, e enquanto buscar respostas eu escreverei. 

Por: Ludmyla Costa (@LudmylaCosta)

5 comentários:

  1. Muiito shoow!!
    Larah Ciotti

    ResponderExcluir
  2. Arraso heein amg...vc tem futuro nessa área kkkkkkkkk
    Te adoroo *-*

    ResponderExcluir
  3. Me sinti como se estivesse realmente numa madrugada...rsrs
    parabéns Lud, mt bom msm

    ResponderExcluir