Páginas

quarta-feira, 16 de março de 2011

Doces ilusões

E para quem já se perdeu no meio do caminho, já confundiu seus sentimentos, já cometeu enganos, já falhou durante grandes missões, já pensou em desistir... Para todas essas pessoas eu não sei o que dizer, mas sei exatamente tudo aquilo que elas sentiram.
Se tudo que pensássemos ou sonhássemos, realmente pudesse ser real, perderíamos a esperança, e tão pouco, existiria o doce prazer da ilusão, mesmo que isso nos machuque, nos destrua por dentro, é exatamente esses sentimentos que permitem com que avancemos mais e mais a cada dia.
Cada ferida, cada lágrima, cada sonho perdido, nos permite idealizar o que queremos, mesmo que às vezes, sonhemos alto demais, mesmo que vivamos na tola esperança de alcançar coisas, sentimentos, emoções impossíveis, é isso que permite a sobrevivência de todos os seres humanos.
Por trás da tristeza, sempre há um grande amor, é fato, independente de qual seja, é sempre um sentimento mais forte do que um ser humano pode suportar, e por isso nos afogamos em lágrimas, em depressões, em medos, é uma espécie de máscara que usamos para fugir dos grandes problemas que estamos vivenciando.
Mas o pior, é quando isso vira uma espécie de vício, e então não conseguimos mais viver sem, apesar de nos afundarmos cada vez mais, isso causa estabilidade, e então quando realmente temos que desfazer de tudo aquilo, nos sentimos presos ao passado, sofremos  muito no presente com medo de um futuro tenebroso, mas nunca devemos perder a fé de que o amanhã pode ser surpreendente.
E mesmo que as suas ilusões sejam impossíveis, só você tem o poder de torná-las realidade, mesmo que de uma forma contrária, conformando-se com o que realmente está a seu alcance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário