Páginas

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

De que adianta?



E de que adianta ter medo,

se é preciso vencê-lo?

De que adianta a coragem,

se não tenho a verdade?


E de que adianta ser fraco,

se não se pode cair no buraco?

De que adianta tentar,

se nem sempre é possível ganhar?


E de que adianta a vitória,

se para outros foi a derrota?

De que adianta a luta,

se não temos em quem colocar a culpa?


E de que adianta as palavras,

se o seu coração não faz questão?

De que adianta a confiança,

se ela pode quebrar a esperança?  

Nenhum comentário:

Postar um comentário